Comprador, Cuidado

Contribuído por Andrew Love

Uma grande parte da missão do High Noon é eliminar a desinformação, principalmente o tipo que pode conduzir pessoas a cair de um penhasco espiritual. O assunto de sexo é carregado de tais equívocos. 

Relembre o ensino médio, na era pré-internet, e considere todas as coisas insanas que as pessoas tentaram nos fazer acreditar sobre sexo em vestiários, nas pernoites, até mesmo durante “aulas” de sexo. Não tinha nenhum jeito real que podíamos usar para validar o que escutamos e muitas vezes decidimos perguntar àqueles com mais autoridade (quando tínhamos coragem para isso).

Onde estava a verdade sobre sexualidade?

Apesar de alguns talvez terem pensado que a internet pode ter agido como um gigante holofote da verdade, jogando fora toda desinformação, parece que somente confundiu as coisas a um nível macro. O que é verdade? O que é falso? A propagação de ambas, verdades e desverdades, proliferou em todas as direções simultaneamente, criando confusão massiva.

Vamos tirar um momento e refletir:

  • Fazemos compras com nossas emoções, não com razão.
  • Votamos dos nossos corações, não das nossas cabeças.
  • Louvamos no altar de celebridades por fraqueza, não força.

Os principais setores que dirigem a cultura, focam em nossas mentes inferiores para seguir adiante com suas causas. O que seria de Hollywood sem usar o sexo para vender ingressos? Como as empresas venderiam cerveja se não pudessem explorar o corpo feminino? Por que a maioria dos políticos correm na outra direção em vez de levar a Exploração Sexual a sério?

Essa não é uma exposição paranoica de como “O Homem” tenta nos pegar! É meramente uma visão geral de como aqueles que são encarregados de produzir a maioria do que entra nos nossos olhos e ouvidos, falham em promover verdadeira sexualidade.

Talvez, eles não saibam do que eles não sabem!

Tem sido feito vários estudos, ilustrando como a VERDADE em si está se tornando relativizada porque estamos mais propensos a buscar validade de nossas crenças do que buscar o que é verdade. 

Sexo falso tem nos encurralado e está tentando nos obrigar a concordar com suas mentiras. Psicólogos em massa, celebridades e políticos parecem promover uma sexualidade inferior. Nossos sentidos são espancados com músicas sobre pessoas usando umas as outras para necessidades sexuais egoístas. 

Quando foi a última vez que você escutou uma música celebrando um casal de 75 anos se beijando?

ISSO NÃO ACONTECE!

A cultura pop comemora se apaixonar, mas não se comprometendo àquele amor. Somos levados a acreditar que amor não dura muito e devemos esperar nos mergulhar no próximo “relacionamento” que surgir.

Somos enganados a baixar nossos padrões na falsa premissa de que amor, compromisso, e família não são tão importantes quanto o estilo de vida YOLO (“vivemos somente uma vez”) – que é o máximo de ironia a que pode chegar um estilo de vida! Através deste mantra YOLO, somos iludidos a acreditar que nos divertindo agora, renunciamos qualquer pensamento potencial de que responsabilidades devem ser tomadas. Mas esse tipo de vida se presta exclusivamente à dor.

Se de fato vivemos somente uma vez (desculpe Budistas), então ser gentil e amoroso com os outros deve ser nossa prioridade, mais do que explorar os outros, a fim de criar um legado de egoísmo. 

Isso não é o que nos é contado. Isso não é o que nos é VENDIDO…

O que devemos comprar? Se todos os nossos impulsos momentâneos estão pedindo que mergulhemos de cabeça no marketing e na mídia a fim de encontrar alegrias voláteis de nossos sentidos, como podemos ir por um caminho diferente? Como podemos nadar contra a maré cultural?

Escolha.

Deixe coração e alma decidirem onde vão seus olhos, em vez de deixar que seus olhos arrastem sua alma para lugares onde nunca deveria ir. Escolha o tipo de amor que você merece e não aceite menos. Quando você conhece bem o Amor Verdadeiro, os substitutos falsos irão te assustar. 

É isso o que há guardado para qualquer um que esteja disposto a simplesmente escolher – não uma ou duas vezes – VIVER de acordo com o amor em que nascemos para viver!

Related Articles

Responses