Coragem

Este artigo faz parte de uma série de cinco partes sobre os valores do High Noon:

Honestidade
Graça
Integridade
Responsabilidade
Coragem


Contribuição de Andrew Love

A coragem é muitas vezes compreendida de forma unidimensional.

A coragem é retratada nos filmes como uma pessoa grande e forte que enfrenta um dragão maligno e o mata, para que seu reino possa ser livre.

A coragem é vista como um gesto ousado, feito por alguém que age de forma poderosa e concisa. É por causa de tais filmes e imagens de heróis nos salvando que, inconscientemente, tendemos a reservar a coragem para certas ocasiões especiais.

Mas o que isso tem a ver com nossas vidas diárias?

Com este tipo de perspectiva preto e branco da coragem, nossas vidas parecem mundanas e insignificantes e todo heroísmo é terceirizado para alguém que não seja nós mesmos.

E se olhássemos a coragem como um músculo desenvolvido ou atrofiado?

Isso não a tornaria mais atingível? Em virtude dessa linha de pensamento, retiramos a coragem do âmbito de algo que alguém “É” para algo que alguém “TEM”. Isso automaticamente faz com que a coragem seja mais acessível e inclusiva para qualquer um.

Se compararmos aptidão física com coragem, isso não é sobre você nascer apto ou inapto, mas sim sobre você realizar atividades para melhorar seu estado físico ou não. Como todos sabemos, a aptidão física não é obtida através de atos extravagantes feitos uma vez ao ano, mas é o acúmulo de muitas pequenas escolhas. Você se alimentou adequadamente? Fez seus exercícios diariamente? Fez alongamentos? Estas pequenas decisões momentâneas somam para uma vida saudável ou não.

Então vamos seguir com essa mesma lógica para a coragem: é um estilo de vida e não um ato periódico de força.

Porque mesmo se oportunidades de atos corajosos baterem à nossa porta, são todos os muitos pequenos atos de coragem que nos levam a agarrar a oportunidade ou a fugir do confronto.

Nossa coragem do dia-a-dia soma-se a uma vida de coragem. Por outro lado, atos constantes de evasão nos levam aos hábitos e ao estilo de vida de evasão.

Considere os muitos pequenos momentos ao longo do seu dia que podem ser vistos ou como provações ou como oportunidades para exercitar o músculo de coragem. Isso depende do seu compromisso com a coragem.

Por exemplo, quando vemos alguém pedindo dinheiro nas ruas, a reação típica é ignorar a pessoa. Nós não sabemos como agir ao testemunharmos o sofrimento de outro ser humano diante dos nossos olhos. Podemos dar-lhes dinheiro ou podemos justificar não dar-lhes dinheiro, mas quanto mais pessoas vemos pedindo dinheiro, menos nos sentimos capazes de reconhecê-las.

O que seria um ato de coragem nessa situação?

Em geral, mesmo o simples ato de fazer contato visual com estranhos é algo de que nos esquivamos. É justamente por isso que os humanos de hoje recorrem aos seus celulares quando estão em ambientes sociais, como transportes públicos, elevadores e até mesmo restaurantes, quando são deixados sozinhos somente por alguns minutos. Preferimos evitar o contato visual com pessoas reais e nos conectarmos a algo familiar, algo que possamos controlar, como nossos celulares.

São os pequenos atos de coragem que realmente definem o nosso caráter e, em última instância, o nosso destino. Quando agimos de acordo com nossos compromissos claramente expressos com certos comportamentos, virtudes e objetivos, nosso destino se cristaliza. Quando o nosso destino está claro, o cenário é estabelecido e as regras são criadas. O esporte não é tão divertido sem regras – tente jogar tênis com uma criancinha e você entenderá isso. Quando você realmente deseja alguma coisa, haverão algumas barreiras para alcançá-la ou mantê-la.

Essas são as apostas.

Quando a sua determinação estiver sendo desafiada, você descobrirá o quanto realmente se importa com seus objetivos. Se você é absoluto em seus desejos, apenas atos contínuos de valor o manterão avançando.

Com integridade sexual, coragem é decidir como você quer viver no âmbito da sexualidade e fazer o que for preciso para viver de acordo com esse padrão.

É preciso coragem para admitir que você tem dúvidas sobre sexualidade.

É preciso coragem para expressar claramente a forma como você gostaria de viver em relação à sexualidade.

É preciso coragem para pedir ajuda a amigos e familiares.

É preciso coragem para confessar às pessoas amadas que você não está vivendo de acordo com seus padrões.

Por outro lado, a justificativa é a antítese da coragem.

A vergonha é o inimigo do amor.

Esconder-se é o oposto de ser livre.

A coragem é a nossa porta de entrada para a realização de nossos ideais mais elevados. O High Noon tem sido exposto a muitas pessoas corajosas que podem não parecer-se como super-heróis, mas são muito mais corajosas que qualquer um que já tenha aparecido em uma história em quadrinhos ou que tenha matado um dragão em um conto de fadas.

Essas pessoas estão matando seus dragões interiores, do tipo que respira o ódio de si mesmo em vez de fogo. Eles estão escolhendo compartilhar abertamente com suas famílias e suas comunidades. Eles escolhem uma vida de honestidade ao invés de uma vida de ocultação.

Quanto mais você decidir evitar contar aos outros sobre quem você realmente é, mais ficará preso em um lugar de medo, ansiedade e dúvida. Não há acesso ao seu verdadeiro poder naquele lugar.

Coragem é enfrentar as sombras de sua vida, os segredos, as trevas, os erros, os medos e as dúvidas que você tem sobre si mesmo ou sobre sua fé, a dor que você causou a si mesmo ou aos outros, a desconexão entre você e seu pai celestial.

É enfrentar tudo isso e dizer: “Eu cometi esses erros, mas sou melhor do que isso”.

É buscar algo melhor, uma atualização e um novo começo.

É preciso coragem para olhar para si mesmo honestamente.

É preciso coragem para avaliar sua vida.

É preciso coragem para ter uma conversa consigo mesmo sobre como você está realmente se saindo nessa questão.

É preciso muita coragem para admitir seus erros para outro ser humano. É preciso muita coragem para ser aberto e honesto com pessoas reais.

E é preciso muita coragem para buscar um caminho sincero para restaurar os seus erros.

Assim, quanto mais temos o hábito de buscar a honestidade conosco mesmos, ser honestos com os outros, mais corajosa se tornará nossa configuração padrão e mais fácil será viver com coragem.

Desenvolver o músculo da coragem é fazer o que você sente que é certo o tempo todo, em todas as circunstâncias. Isso significa defender-se a si mesmo ou a outras pessoas quando houver injustiça. Também significa ter a coragem de admitir quando você está errado.

Quando você comete um erro, em nosso mundo moderno, é muito fácil justificar seu raciocínio e é muito difícil aceitar total responsabilidade.

Isso porque a coragem é uma virtude que não é celebrada como antigamente. Mas, na verdade, não pode haver alegria sem coragem.

Você é obrigado a justificar e racionalizar constantemente, sem coragem. Sem coragem haverão infinitas oportunidades perdidas de experimentar a plenitude e a realização de si mesmo, com os outros e com Deus.

Quando desenvolvemos o músculo da coragem, facilitamos um caminho para que nossos corações reinem livremente e para que Deus trabalhe poderosamente através de nós.

 

Related Articles

Responses